Conecte-se Conosco

parnamirim

INCÊNCIO QUE DESTRUIU 26 UTVS EM PARNAMIRIM NÃO FOI CRIMINOSO, APONTA POLÍCIA CIVIL.

Publicado

em

INCÊNCIO QUE DESTRUIU 26 UTVS EM PARNAMIRIM NÃO FOI CRIMINOSO, APONTA POLÍCIA CIVIL.

INCÊNCIO QUE DESTRUIU 26 UTVS EM PARNAMIRIM NÃO FOI CRIMINOSO, APONTA POLÍCIA CIVIL. A policia Civil concluiu as oitivas que foram realizadas para saber o que teria ocasionado o incêndio em um estabelecimento comercial em Parnamirim. Nas diligencias e análises realizadas pela polícia, não foi identificada nenhuma presença suspeita no local horas antes ou no momento do incêndio. Ainda de acordo com informações de populares, o fogo teria sido ocasionado por um curto-circuito no sistema de som de um dos veículos e que rapidamente se alastrou em razão da grande quantidade de carros que tinha no recinto no momento.

Leia Também: Alan Aal estreia com a missão de salvar o ABC

A policia Civil, no entanto, ainda espera o resultado final da perícia do Instituto de Perícia (ITEP), que poderá trazer algo mais preciso para esta investigação. A policia ainda trabalha com uma segunda linha de investigação, esta ainda não divulgada pelas autoridades. Um ex-funcionário da empresa chegou a ser considerado suspeito, foi ouvido e afirmou que no momento do incêndio estava em sua casa dormindo. Ao ser ouvido o possível suspeito foi liberado e a investigação nesta linha, descartada.

O caso

O incêndio aconteceu no dia 19 de julho, por volta das 6h30 em Parnamirim. O incidente, que aconteceu na Rua Eliza Branco, próximo ao Parque das Nações, causou a destruição de 26 veículos off road.

O acidente deixou um prejuízo para o proprietário de R$ 3,5 milhões.    

INCÊNCIO QUE DESTRUIU 26 UTVS EM PARNAMIRIM NÃO FOI CRIMINOSO, APONTA POLÍCIA CIVIL.
INCÊNCIO QUE DESTRUIU 26 UTVS EM PARNAMIRIM NÃO FOI CRIMINOSO, APONTA POLÍCIA CIVIL.

Clique Para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + cinco =

crime

Operação do Ministério Público do RN prende liderança de facção criminosa em Parnamirim.

Publicado

em

Por

Operação do Ministério Público do RN prende liderança de facção criminosa em Parnamirim. O chefe de uma facção criminosa foi preso na manhã desta segunda-feira 24 em uma operação do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), em Parnamirim. A operação Cross é desdobramento da operação Carteiras, deflagrada em 8 de julho deste ano, e que resultou na prisão de três advogados denunciados por envolvimento com uma organização criminosa que atua dentro e fora de unidades prisionais potiguares. Na ação, foram apreendidos uma arma de fogo e o aparelho de telefone celular dele. O material será analisado.

A operação Cross contou com o apoio da Polícia Militar. Além do mandado de prisão preventiva, a ação cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do homem preso.

Operação do Ministério Público do RN prende liderança de facção criminosa em Parnamirim.
Operação do Ministério Público do RN prende liderança de facção criminosa em Parnamirim.

De acordo com as investigações do MPRN, o homem preso nesta segunda seria uma das chefias da facção criminosa. Ele seria um os membros do “Conselho” da organização criminosa, hierarquia apenas inferior a dos fundadores da organização. O MPRN tem indícios que ele repassava orientações a outros integrantes da facção sobre como agir em suas “quebradas”, possuindo o encargo de expedir relatórios e realizar pagamentos mensais para as companheiras dos demais chefes da facção que se encontram em presídios federais.

Leia Também: Paraná Pesquisas: Lula tem 50,2% dos votos válidos; Bolsonaro, 49,8%

Além disso, ainda de acordo com o que o MPRN já apurou que o homem preso também seria um dos principais articuladores da facção, com poder de decisão acerca de penalidades que podem ser impostas a outros faccionados, aplicando a “disciplina” da organização criminosa, por meio da “condução” daqueles que não seguem as exigências da organização criminosa.

O chefe da facção está preso à disposição da Justiça potiguar.

Continue Lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Ultimas